UTILIZAÇÕES E CLASSES DE INCÊNDIOS:


Água Pressurizada (Substituto do Agente Espuma Química)

A água é o agente mais utilizado por causo de suas propriedades de resfriamento, abafamento, diluição e emulsionamento. A extinção só ocorre quando o agente atinge o ponto onde existe a combustão. O método convencional de extinção é aplicar, na base do fogo, jato pleno, mediante linhas de mangueiras, ou com extintores do tipo carga de água. Outra maneira convencional e frequentemente mais eficaz, é aplicar água em forma de neblina. Isto se faz através de esguichos especiais, pulverizados e dispositivos similares.


Espuma Química (não mais permitido)

A espuma para combate a incêndio é um agregado de bolhas cheias de gás, geradas de soluções aquosas. Sua densidade é menor do que a dos líquidos inflamáveis e combustíveis. É utilizada principalmente, para formar uma capa flutuante de cobertura. Extingue o incêndio neste líquido, cobrindo e resfriando o combustível, de forma a interromper a evolução dos vapores e impedir o acesso do oxigênio.


Pó para Extinção de Incêndio

Os pós extintores têm base em bicarbonato, os quais são usados para extinguir incêndios das classes “B” e “C”. Ao ser aplicado diretamente na área do incêndio, o agente pó para extinção de incêndio faz com que as chamas se apaguem completamente no momento da aplicação, interferindo na reação química de combustão.


Dióxido de Carbono (Gás Carbônico CO²)

O gás carbônico tem várias propriedades que recomendam sua aplicação na extinção de incêndios. Não é combustível e não reage com a maioria das substâncias. Sendo gás, pode penetrar e espalhar-se em todas as partes da área incendiada. Não conduz eletricidade e pode ser, portanto, usado em equipamentos elétricos energizados É eficiente como agente extintor porque reduz o conteúdo de oxigênio no ar a um ponto em que este deixa de apoiar a combustão. Em condições adequadas de controle e aplicação obtém-se também certo efeito resfriador.

Classes de Incêndio


Água Pressurizada – Classe de Incêndio: A

A água é o agente mais utilizado por causa de suas propriedades de resfriamento, abafamento, diluição emulsionamento. A extinção só ocorre quando o agente atinge o ponto onde existe a combustão. O método convencional de extinção é aplicar, na base do fogo, jato pleno, mediante linhas de mangueiras, ou com extintores do tipo carga de água. Outra maneira convencional e frequentemente mais eficaz, é aplicar água em forma de neblina. Isto se faz através de esguichos especiais, pulverizados e dispositivos similares.

Espuma Mecânica – Classe de Incêndio: A e B

A espuma para combate a incêndio é um agregado de bolhas cheias de gás, geradas de soluções aquosas. Sua densidade é menor do que a dos líquidos inflamáveis e combustíveis. É utilizada principalmente, para formar uma capa flutuante de cobertura. Extingue o incêndio neste líquido, cobrindo e resfriando o combustível, de forma a interromper a evolução dos vapores e impedir o acesso do oxigênio.

Pó para Extinção de Incêndio – Classe de Incêndio: B e C

Os extintores de pó químico têm base em bicarbonato, os quais são usados para extinguir incêndios das classes “B” e “C”. Ao ser aplicado diretamente na área do incêndio, o agente químico seco faz com que as chamas se apaguem completamente no momento da aplicação. Os mecanismos de abafamento, resfriamento e isolamento contra a radiação contribuem para a eficácia extintora do agente,porém estudos recentes parecem indicar que uma reação desagregadora em cadeia, na chama, pode ser a principal causa de extinção.

Dióxido de Carbono (Gás Carbônico CO²) – Classe de Incêndio: B e C

O gás carbônico tem várias propriedades que recomendam sua aplicação na extinção de incêndios. Não é combustível e não reage com a maioria das substâncias e não é condutor de eletricidade. Sendo gás, pode penetrar e espalhar-se em todas as partes da área incendiada. Não deixa resíduos, não contamina gêneros alimentícios, pode ser, portanto, usado em equipamentos elétricos energizados. É eficiente como agente extintor porque reduz o conteúdo de oxigênio no ar a um ponto em que este deixa de apoiar a combustão.